CearáEsporte

Repórter do Ceará é agredida por torcedores do clube no duelo contra o Flamengo

(Foto: Reprodução / Instagram)
A jornalista Mari Rios, que trabalha na Vozão TV, emissora oficial do Ceará, denunciou neste domingo que foi agredida fisicamente e moralmente por torcedores do clube na partida entre Ceará e Flamengo, que terminou com vitória da equipe do Rio de Janeiro por 3 a 0.
 
A funcionária do Vovô foi agredida após o apito final de Anderson Daronco, quando saia do Setor Premium do estádio, área onde os bilhetes custam R$ 140 (inteira) e R$ 70 (meia), sendo considerado um ambiente elitizado. Ela foi xingada e, ao tentar sair do local, foi segurada pelo braço por torcedores do clube.
 
No momento da agressão, Mari estava sozinha, sem a presença de cinegrafistas ou produtores. Ela ainda não fez Boletim do Ocorrência (B.O), mas deverá fazer no decorrer desta segunda-feira, 30. 
 
“Fui vítima de mais um ato machista e covarde no futebol. Fui agredida fisicamente e verbalmente, por (nem posso dizer que são torcedores) nem sei como definir. Apertar pelo braço, colocar dedo na cara e xingamentos do mais baixo calão”, escreveu em uma rede social.
 
A jornalista, que apresenta e faz reportagens nos programas da Vozão TV que vão ar no Canal Premiere e YouTube, ainda escreveu: “Sabe o pior? Tive que me calar!” e encerrou com um apelo. “Torcedor, conviva com as derrotas e mais ainda respeite nós mulheres que trabalhamos no futebol”
 
Em contato com a reportagem do O POVO, a jornalista agradeceu a preocupação, mas não quis falar sobre o episódio, avisando que agora tudo está nas mãos do departamento jurídico do clube.
 
Instantes após a repórter noticiar que foi vítima de agressão em sua conta no Instagram, o Ceará lançou uma nota de repudio em seu site oficial. Confira a publicação na íntegra. 
 
“O Ceará Sporting Club vem a público demonstrar total repúdio às agressões físicas (puxões pelo braço) e verbais sofridas pela repórter do Vozão TV, Mari Rios, no exercício de suas funções, na noite desse domingo, 29/04, na Arena Castelão, na partida entre Ceará x Flamengo.
 
O Clube se solidariza com a funcionária e coloca à disposição aparato jurídico neste caso. Será feito Boletim de Ocorrência para que seja aberto inquérito sobre o fato. Acreditamos que nenhuma manifestação de torcida pode exceder os limites da civilidade e respeito ao próximo.
 
O Ceará S.C reforça o apoio ao manifesto #DeixaElaTrabalhar e vai se empenhar para que o fato seja apurado e os agressores sejam devidamente punidos. Somos radicalmente contra ações dessa natureza”
 
CAMPANHA
 
No último dia 27 de março, O POVO publicou matéria sobre o manifesto de jornalistas esportivas após a repórter Bruna Dealtry, do canal Esporte Interativo, ser vítima de assédio durante um link ao vivo em que estava no meio da torcida do Vasco-RJ. Leia mais sobre #DeixaElaTrabalhar aqui.
 
APOIO 
 
O Fortaleza prestou apoio à jornalista e deseja que providências sejam tomadas. “O Fortaleza Esporte Clube, através de sua Diretoria e Assessoria de Comunicação, se solidariza e lamenta o ocorrido com a repórter da TV do Ceará, Mari Rios. Que providências sejam tomadas e casos como esses não se repitam”, afirma a nota. 
 
 
Reproduzido por MassapeCeara.Com|Créditos: O POVO

➤ https://www.massapeceara.com/2018/04/reporter-do-ceara-e-agredida-por.html#ixzz5EAyNa3dt 
_Gostou? Então nos adicione em seu grupo para receber também_ 

Comente com Facebook