DestaquesRegionais

Veja como os políticos de Santa Quitéria se posicionaram na audiência pública da mina de Itataia

Fotos: Montagem/José Heitor
Os grupos políticos de Santa Quitéria também se fizeram presentes na discussão ontem (07) durante a audiência pública do IBAMA que tratou sobre o projeto de exploração do urânio e fosfato em Itataia.
 
A participação do prefeito Braguinha, vice-prefeita Lígia Protásio, ex-prefeitos Tomás Figueiredo e Chagas Mesquita, vereadores e ex-vereadores, deputado estadual Danniel Oliveira e outras lideranças, se dá em meio a um cenário de incertezas e de desconhecimento por parte da população em relação a operação do empreendimento.
 
Mesmo com vaias, alguns destes manifestaram-se claramente a favor do projeto Santa Quitéria, enquanto outros optaram por se manter mais retraídos diante de ainda não possuir um posicionamento claro, mas cientes reservadamente de que, desta vez, a jazida sairá do papel depois de quase cinco décadas.
 
Confira trechos dos discursos
 
Douglas Lira
O vereador do PDT, em sua fala, cobrou que o Consórcio Santa Quitéria coloque o ‘o ser humano, as famílias humildes, as pessoas simples’ em primeiro lugar, quando muito tem se falado do desenvolvimento econômico.
 

Como a cidade vai reagir a todos os problemas inerentes a um desenvolvimento como esse, a questão da droga, vulnerabilidade social da região… A adutora, vivemos num município do semiárido, onde temos problemas de escassez e não se foi falado de onde virá água pro consumo humano num inverno irregular. O que percebi na fala dos senhores é que, tudo que for beneficiar aquela região com adutora, malha asfáltica, rede elétrica, não foi por aquelas pessoas que estavam lá, mas pelo empreendimento que está alocado naquele local.

 
Danniel Oliveira
O deputado do MDB, ligado a oposição, apontou preocupação em relação a exemplos de desastre ocorridos em outras minerações da INB, como Caldas (MG) e Caetité (BA), em que sobraram para a população rejeitos, contaminação da água e do solo e aumento de casos de câncer. Ele também questionou sobre o descarte da água utilizada e o quanto ela pode ser contaminada e prejudicial as comunidades do entorno.
 

Pouco se foi falado do que paira sobre essas pessoas, essa cidade. Vimos crianças se manifestando, muita gente de forma ordeira, pacífica e respeitosa, embora a preocupação seja aquilo que está hoje massacrando o coração dessas pessoas. É uma verdade que houve desastre lá que trouxe muito malefício a saúde pública, é uma preocupação e uma garantia que o povo de Santa Quitéria quer, da INB, da Galvani, do IBAMA.

 
Braguinha
O prefeito utilizou sua fala de maneira mais cautelosa, sem tomar partido no projeto, entregando a responsabilidade nas mãos do IBAMA para que seja analisado todos os efeitos negativos e positivos que Itataia possa causar. Ele leu uma carta e apresentou as contrapartidas necessárias, como Área de Proteção Ambiental, saneamento básico, saúde e outras compensações para o Consórcio.
 

Não é o gestor, não é ninguém que vai autorizar ou negar a exploração da mina. Espero que todo mundo analise com muita competência os efeitos. Já foi negada duas vezes, espero que o IBAMA, se for viável, explore e se for negativa, não autorize. O licenciamento busca equilibrar pra que esse crescimento econômico não seja a qualquer custo, deve preservar o bem estar social e a manutenção de um meio ambiente equilibrado. Entendemos que a decisão que for tomada será acertada e terá a contribuição do poder executivo municipal.

 
Tomás Figueiredo
Um dos mais ferrenhos defensores de Itataia, o ex-prefeito teve a maior parte do discurso coberto por vaias dos manifestantes. Ao afirmar que o açude Edson Queiroz foi construído para abastecer o empreendimento, ele cobrou a construção da barragem Poço Comprido e deixou bastante claro que o Brasil e o Ceará precisam das reservas minerais quiterienses.
 

Eu luto há 32 anos por essas reservas. Já estamos na terceira audiência pública, no quarto EIA/RIMA. O açude Serrote foi construído para atender a mina de Santa Quitéria e os 850 litros/s, a metade vai atender a humano, agora a COGERH deveria construir o Poço Comprido, açude o dobro do Serrote, que nós quiterienses lutamos. Eu acho que os nossos lideres políticos que tão aqui hoje deveriam lutar pelo Poço Comprido. A única coisa que tenho certeza é que o Brasil e o Ceará precisam das reservas minerais de Santa Quitéria.

 
Pé de Mola
O assentado, que também ocupa temporariamente o cargo de vereador, exigiu um posicionamento firme da Câmara Municipal, ao destacar que a posição nesta hora é “estar ao lado do povo”. Ele, que é um dos líderes do movimento sem terra na região, ressaltou que a produção ecológica e o direito à vida devem ser preservados e que precisa ter mais respeito e compaixão com a classe trabalhadora de Santa Quitéria.
 

Nenhuma dessas normas do IBAMA foram capazes de conter aqueles grandes incidentes que tiveram em Brumadinho e outras cidades. Nós em Santa Quitéria temos que aceitar um projeto de um consórcio que traz dados, muitas vezes tentando ludibriar, a questão dos empregos… Foi dito que serão gerados 2.800 empregos na fase de construção, depois vamos ter 538 míseros divididos entre essas 3 cidades e Santa Quitéria, não se deixe enganar, nós não temos pessoas capacitadas para exercer funções, onde lá poderão perder a vida.

 

Fonte: A Voz de Santa Quitéria

Comente com Facebook