DestaquesIpu

Laudo aponta causas cardíacas para morte de mulher que tinha suspeita de H1N1 em Ipu

Diretor do Hospital destaca números de abril. (Foto: Reprodução)

Mulher esteve internada no Hospital Municipal de Ipu entre sexta-feira (4) e segunda-feira (7) deste mês de abril. Laudo aponta morte por Tromboembolismo pulmonar e Miocardiopatia dilatada. 

Na manhã desta quarta-feira (9), saiu o laudo que aponta as causas da morte da jovem Maria Keila Evaristo de Sousa, de 26 anos de idade. De acordo a declaração de óbito do SVO Serviço De Verificaçao de Óbito de Fortaleza, ás causas foram Tromboembolismo pulmonar e Miocardiopatia dilatada. Causas Cardíacos e agravado por decorrência de uma pneumonia.

A mulher ficou internada cinco dias no Hospital Municipal de Ipu (HMI) Dr. José Evangelista de Oliveira, mas não resistiu e morreu nesta terça-feira (8). Entenda os motivos da morte da jovem ipuense.

Miocardiopatia dilatada

Miocardiopatia dilatada é uma doença do músculo do coração que impede o bombeamento adequado de sangue para o corpo, causando complicações como arritmias, coágulos de sangue e morte súbita. A miocardiopatia dilatada afeta principalmente o ventrículo esquerdo, uma importante câmara de bombeamento do seu coração.

O ventrículo esquerdo torna-se ampliado (dilatado) e as fibras musculares se esticam ao máximo, tendo dificuldade maior de se encurtar e comprimir o sangue para fora. Imagine outro músculo – o bíceps – em situação semelhante. O que dá mais trabalho: dobrar o cotovelo com o braço a 90 graus ou com ele completamente esticado, hiperextendido? Com o coração é a mesma coisa: contrair os músculos com eles mais esticados é mais difícil.

A miocardiopatia dilatada pode afetar pessoas de todas as idades, incluindo bebês e crianças. Os tratamentos podem estar disponíveis para a causa da miocardiopatia dilatada, ou para melhorar o fluxo sanguíneo e reduzir os sintomas.

Tromboembolismo Pulmonar

O tromboembolismo pulmonar (TEP) é uma síndrome clínica e fisiopatológica que resulta da oclusão da circulação arterial pulmonar por um ou mais êmbolos. Os eventos tromboembólicos estão relacionados, em mais de 90% dos casos, com êmbolos originados em sítios de trombose venosa profunda (TVP), principalmente dos
vasos da coxa e pelve.

Raramente, os êmbolos podem ser procedentes das veias renais, membros superiores ou do ventrículo direito (VD). No final do século XIX, Virchow descreveu três condições capazes de iniciar o processo de trombogênese: lesão do endotélio venoso, alterações dos mecanismos plasmáticos da coagulação e estase sanguínea. A estase venosa é o principal fator na gênese da TVP.

 

 

Da Redação do Ipu Post

Comente com Facebook

É proibida a reprodução do conteúdo desse site.
%d blogueiros gostam disto: