DestaquesMundo

Motorista incendeia ônibus com 51 crianças na Itália; ninguém ficou ferido

Motorista incendeia ônibus com 51 crianças na Itália; ninguém ficou ferido

O homem teria afirmado que o ato é um protesto contra os afogamentos de migrantes no Mediterrâneo

 
 
Atentado Itália
O homem teria avisado às crianças que ninguém sairia vivo do ataque
Foto: Corriere Della Sera/Reprodução
 

O motorista de um ônibus escolar italiano sequestrou e ateou fogo no veículo ocupado por 51 crianças nesta quarta-feira (20), nos arredores de Milão. De acordo com informações do jornal italiano Corriere Della Sera, o homem teria avisado aos alunos que estava disposto a morrer e matar para protestar contra os afogamentos de migrantes na costa italiana, ele teria gritado “basta, as mortes no Mediterrâneo devem ser interrompidas”.

Apesar da tentativa, ninguém ficou gravemente ferido, mas alguns estudantes e dois adultos que acompanhavam o grupo precisaram ser encaminhados ao hospital com sintomas de intoxicação por fumaça.

Osseynou Sy, de 47 anos, é um cidadão italiano de origem senegalesa e está sob custódia da polícia desde o atentado, ele foi acusado de sequestro e responderá à justiça por uma tentativa de massacre com fins terroristas.

O sequestro aconteceu quando os alunos do ensino médio voltavam de uma excursão. Os três responsáveis que acompanhavam a viagem estranharam quando o motorista mudou de direção em San Donato Milanese, a 13 quilômetros de Milão. Em seguida, o homem fez os passageiros reféns e garantiu “hoje ninguém sai vivo daqui”.

Uma das crianças conseguiu ligar para seus pais que, então, informaram as autoridades italianas. Os agentes chegaram antes que a tragédia acontecesse, bloquearam o ônibus e quebraram as janelas para que os alunos pudessem saltar para fora.

Ainda segundo informações do jornal italiano, o homem tem precedentes judiciais e foi condenado em ocasiões anteriores por dirigir embriagado e por abuso sexual infantil.

Veja momento em que as crianças conseguem fugir do ônibus:

 

 

 

Fonte: JORNAL O TEMPO

Comente com Facebook