Destaques

Ipu (CE): Movimento da Luta Antimanicomial é lembrado

O Movimento da Luta Antimanicomial se caracteriza pela luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental. Dentro desta luta está o combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos, ideia baseada apenas nos preconceitos que cercam a doença mental. 

O Movimento da Reforma Psiquiátrica se iniciou no final da década de 70, em pleno processo de redemocratização do país, e em 1987 teve dois marcos importantes para a escolha do dia que simboliza essa luta, com o Encontro dos Trabalhadores da Saúde Mental, em Bauru/SP, e a I Conferência Nacional de Saúde Mental, em Brasília. 

Com o lema “por uma sociedade sem manicômios”, diferentes categorias profissionais, associações de usuários e familiares, instituições acadêmicas, representações políticas e outros segmentos da sociedade questionam o modelo clássico de assistência centrado em internações em hospitais psiquiátricos, denunciam as graves violações aos direitos das pessoas com transtornos mentais e propõe a reorganização do modelo de atenção em saúde mental no Brasil a partir de serviços abertos, comunitários e territorializados, buscando a garantia da cidadania de usuários e familiares, historicamente discriminados e excluídos da sociedade. 

Assim como o processo do Movimento da Reforma Sanitária, que resultou na garantia constitucional da saúde como direito de todos e dever do estado através da criação do Sistema Único de Saúde, o Movimento da Reforma Psiquiátrica resultou na aprovação da Lei 10.216/2001, nomeada “Lei Paulo Delgado”, que trata da proteção dos direitos das pessoas com transtornos mentais e redireciona o modelo de assistência. Este marco legal estabelece a responsabilidade do Estado no desenvolvimento da política de saúde mental no Brasil, através do fechamento de hospitais psiquiátricos, abertura de novos serviços comunitários e participação social no acompanhamento de sua implementação. 

Fontes: 

Associação De Volta pra Casa 

Blog da Saúde/Ministério da Saúde 

O Caps de Ipu é coordenado pela enfermeira Dra Goncalina Martins e possui entre os profissionais que fazem a saúde mental de Ipu, os seguintes profissionais. 01 médico psiquiatra, 02 enfermeiras, 02 assistentes sociais, 01 psicólogo, 01 farmacêutica, terapeuta ocupacional, 01 tecnólogo de alimentos, 02 técnicos de enfermagem, 01 auxiliar de farmácia e 02 auxiliares de serviços gerais. 

“Agradecemos a equipe técnica da secretaria de saúde, do secretário de saúde Dr Glaidson Martins, dos agentes de saúde e dos usuários.” 

Galeria de fotos 

Movimento da Luta Antimanicomial em Ipu

Fonte: ASARIAS ARAÚJO VIA IPU NOTÍCIAS

Comente com Facebook

%d blogueiros gostam disto: