CearáDestaques

‘Fique em casa’, alerta cearense que recebeu alta da Covid-19

Anderson no momento em que deixou o Hospital Leonardo Da Vinci Acervo pessoal
Motorista de aplicativo, Anderson Júnior tem 39 anos e estava internado no Hospital Leonardo Da Vinci
 

Foi com muita fé e apoio familiar que Anderson Júnior superou um difícil momento da vida. Aos 39 anos, o pai de família enfrentou toda a dureza da Covid-19Os primeiros sintomas surgiram cerca de duas semanas atrás. Dor de cabeça e pelo resto do corpo. Moleza e febre. No sábado (25), precisou ser internado no Hospital Leonardo Da Vinci. Ganhou alta somente na tarde da última sexta-feira (1). 

Anderson é motorista de aplicativo. Não podia parar de trabalhar, revela. O sustento da família falou alto. Além da esposa, são mais dois meninos. Um adolescente de 16 e um pequeno com apenas dois anos. “Me protegia, mas em alguma falha peguei o vírus”, recorda.

A primeira batalha aconteceu na UPA Autran Nunes. Por ter sinusite, Anderson desconfiava que o mal estar seria por causa da doença que já tem. Retornou para casa. A medicação recomendada não surtia efeito. Na sexta-feira (24) pela manhã voltou à mesma UPA. O quadro era bem mais grave. Agora tinha tosse e cansaço. Faltava ar nos pulmões.

“Tinha pedido a Deus que não deixasse eu morrer lá. Quando cheguei no Leonardo da Vinci foi onde começou todo o tratamento”, conta o paciente. “Chegando lá vi a esperança”.

Cuidados

Anderson elogia o tratamento dos médicos. Agradece enfermeiras e toda a equipe, da turma que luta na limpeza à direção do hospital. Hoje, em casa, o motorista continua os cuidados com repouso, alimentação saudável, suco, água e vitamina C. 

Anderson JúniorAnderson Júnior
Em 2019, Anderson Júnior com a família no aniversário do caçulaAcervo pessoal

Segue isolado em quarto separado. Mas a presença amorosa da esposa e do mais velho não o deixa desassistido em nenhum momento. “Minha esposa foi guerreira, mulher de Deus”, divide. 

ALARMANTE

No sábado (2), as mortes causadas pelo coronavírus no Ceará alcançaram um número alarmante. Conforme dados da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), na plataforma IntegraSUS, às 17h16, foram registrados 638 óbitos. Um aumento de 99 registros em 24 horas.

Diante de todo o pesadelo que passou, Anderson compreende o quanto é importante alertar a população. Seu exemplo de superação é necessário, entende o entrevistado. 

“Me chamo Anderson Júnior. Sou cristão, casado, pai de dois filhos. Um de 16 anos e outro de dois anos. Trabalho como motorista de aplicativo a quase três anos. Fique em casa. Se for sair use máscaras. Não visite ninguém. Se necessário vá de máscara e se previna com álcool gel e lavando as mãos”, pede à população. 

 

Fonte: DN

Comente com Facebook

É proibida a reprodução do conteúdo desse site.
%d blogueiros gostam disto: