Nacional

Morre bombeira voluntária que ficou 17 dias internada após apartamento pegar fogo no sul do Brasil

Rio Grande do Sul – Morreu na manhã desta quinta-feira (19) a bombeira voluntária de Cachoeirinha Gislene Martins Goulart, 36 anos. Ela ficou 17 dias internada no Hospital de Pronto Socorro (HPS) de Porto Alegre após seu apartamento pegar fogo, por volta das 18h do dia 2 deste mês na Rua Vila Lobos, bairro Barnabé, em Gravataí. A casa de saúde confirmou que Gysa, como era conhecida, morreu por volta das 5h em decorrência das queimaduras. 

As causas do incêndio ainda estão sendo apuradas pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Gravataí, mas a delegada Priscila Salgado adiantou que não descarta que o fogo tenha se iniciado ao lado da cama onde Gislene dormia, no celular conectado à tomada. Essa hipótese foi levantada por pessoas que entraram no apartamento após o incêndio e teriam visto uma marca preta na parede, junto ao carregador do aparelho. 

— Nenhuma hipótese é descartada. Estamos esperando os laudos da perícia, porque agora não tem como saber o que aconteceu. O quarto ficou muito queimado — disse a delegada.

Priscila explicou, também, que Gislene foi encontrada pelo marido e um vizinho caída na sala.

— Isso significa que ela se locomoveu dentro da casa na tentativa de apagar o fogo ou de se salvar, não sabemos — complementou.

Natural de Uruguaiana, na Fronteia Oeste, Gysa não tinha filhos e morava com o companheiro. Segundo a delegada, ele tinha saído para trabalhar às 7h daquele dia. Como o emprego fica perto do apartamento do casal, conseguiu chegar antes do Corpo de Bombeiros e ajudou no resgate. Ela tinha curso técnico de enfermagem e atuava há mais de dois anos como socorrista  no Grupo de Resgate e Apoio Voluntário de Emergência (Grave), além de auxiliar os Bombeiros de Cachoeirinha. Presidente do Grave, Michel Elias da Silva lembra que a uruguaianense era conhecida pela retidão e intolerância a injustiças.

— Era uma pessoa muito amiga de quem estava perto dela. Se criou uma corrente muito grande pela sua recuperação. Em alguns momentos, ela chegou a dar indicativos de que melhoraria. Todos estamos desolados com a morte— lamentou. 

Fonte: Gaúcha ZH

Comente com Facebook