Mundo

Aeroporto das Ilhas Canárias é reaberto após ser fechado por cinzas de vulcão Cumbre Vieja

Legenda: Fumaça e cinzas vulcânicas fizeram aeroporto ser fechado Foto: Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan)/Divulgação

O aeroporto da ilha espanhola de La Palma, nas Canárias, foi reaberto neste domingo (26), um dia depois de ter sido fechado pelas cinzas da erupção do vulcão Cumbre Vieja, mas as companhias aéreas mantém seus voos suspensos até que a situação tenha melhora.

 

 

Graças ao trabalho de limpeza das cinzas durante a noite, “o #aeroporto de #LaPalma está de volta à operação”, anunciou a AENA no Twitter, operadora do aeroporto.

VEJA ÁREA AFETADA PELO VULCÃO:

 

 

“Agora pode operar com a aprovação prévia do plano de [cada] voo” pelas autoridades de controle de tráfego aéreo, acrescentou. A AENA aconselhou, porém, os viajantes a verificarem com sua companhia aérea antes de irem ao aeroporto.

De fato, esta tarde, os voos de e para o aeroporto de La Palma continuavam suspensos, enquanto se aguarda uma melhoria da situação. “Por enquanto, paralisamos temporariamente os voos de ou para La Palma até que as condições permitam voos seguros”, declarou a companhia Binter no Twitter.

“No momento, nosso programa de voos continua cancelado”, informou a Canaryfly.

LONGAS FILAS NO AEROPORTO

 

Pista de aeroporto das Ilhas Canárias
Legenda: Pista de aeroporto das Ilhas Canárias
Foto: RTVC/Reprodução

 

O aeroporto de La Palma, ilha de 85 mil habitantes, foi fechado no sábado devido ao acúmulo de cinzas vulcânicas nas pistas. A medida causou longas filas no porto de Santa Cruz de La Palma, com viajantes tentando viajar de balsa para as ilhas vizinhas, em particular Tenerife.

O fechamento do aeroporto coincidiu com o aparecimento de novos fluxos de lava, o desabamento de parte do cone e a intensificação da atividade do vulcão, que entrou em erupção no último domingo.

Esta situação motivou a evacuação de outra área da ilha no sábado, elevando a mais de 6.200 o número de ilhéus que tiveram que deixar suas casas nesta semana.

Neste domingo, porém, cerca de 160 pessoas foram autorizadas a retornar para suas casas, segundo as autoridades.

O Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan) indicou hoje que a “pressão” no interior do vulcão diminuiu nas últimas 24 horas. Mas, “isso não significa que a erupção esteja chegando ao fim”, enfatizou.

DESTRUIÇÃO DE IMÓVEIS

 

Homens das forças de segurança trabalham toda madrugada em monitoramento de lava
Legenda: Homens das forças de segurança trabalham toda madrugada em monitoramento de lava
Foto: Unidad Militar de Emergencias/Divulgação

 

De acordo com os últimos dados do Copernicus, o sistema de medição geoespacial europeu, a lava já destruiu 461 imóveis – ou seja, mais 41 em 24 horas – e cobriu cerca de 1.314 hectares da ilha, cuja atividade econômica mais importante é o cultivo de banana.

“As cinzas atingem os municípios mais próximos” do vulcão, mas também outros localizados “no lado leste da ilha”, detalhou o diretor técnico do Plano de Emergência Vulcânica das Canárias (PEVOLCA), Miguel Ángel Morcuende. 

No entanto, “tudo isto não afeta a qualidade do ar na zona habitada da ilha. Continua bom”, insistiu.

As duas erupções anteriores em La Palma ocorreram em 1949 e 1971, causando a morte de três pessoas no total, duas delas por inalação de gases.

 

Fonte: AFP via Diário do Nordeste

Comente com Facebook

%d blogueiros gostam disto: